Postado em 15/01/2014

O empreendedor paga mais caro para ser franqueado de uma marca consolidada, porém recebe maior expertise.

Entre começar uma empresa do zero e investir em um modelo de franquia, muitos empreendedores ficam com a segunda opção, porém, o empreendedor precisa saber que existe uma série de exigências, taxas e condições contratuais. É importante ainda conhecer o mercado onde se vai atuar, colher o máximo de informações sobre a marca escolhida e tomar alguns cuidados para não sair no prejuízo.

Veja quais são as 5 principais taxas para se abrir uma franquia:

Taxa de Franquia

Valor pago pela assinatura do contrato e adesão ao sistema de franquia. Quanto maior o reconhecimento da franquia no mercado, mais alto é o valor cobrado.

Instalação 

Valor que envolve toda a adaptação necessária ao espaço físico onde a unidade vai funcionar. Vai desde a aquisição da mobília até o projeto arquitetônico. Geralmente, o franqueador indica os fornecedores para o empreendedor. Ele pode buscar outros prestadores de serviço, mas fica sujeito à aprovação do franqueador.

Capital de giro 

Reserva de dinheiro em conta para garantir sobrevivência da empresa no período inicial sem a necessidade de mexer no caixa. Na maioria dos casos, as franquias pedem capital de giro para seis meses, mas há algumas que pedem o valor para manutenção da empresa durante um ano.

Royalties 

Taxa referente ao uso da marca e do know how da empresa. É uma espécie de licença para usar o nome do franqueador e reproduzir seus processos. É cobrada mensalmente e pode ser uma porcentagem sobre o faturamento bruto ou líquido ou um valor fixo.

Taxa de publicidade 

Refere-se à divulgação do nome e dos produtos da empresa. Pode ser cobrada mensalmente uma porcentagem sobre o faturamento, um valor fixo ou um rateio, ou seja, só é cobrada uma quantia quando há campanhas de divulgação de novos produtos ou promoções. No restante dos meses, eles são isentos da taxa.

 

ito

ito

Graduado em Administração de Empresas pela UCSal (Universidade Católica do Salvador), com Especialização em Marketing pela UNIFACS (Universidade Salvador) e Mestrado em Administração e Comércio Internacional pela UEX (Universidad Extremadura - Espanha). Docente na área de gestão, vendas e marketing na FBV – Faculdade Boa Viagem. Possui experiência na área de gestão e consultoria de mais de 20 anos. É um dos diretores da DSC Gestão.
ito