REDES APOSTAM EM FRANQUIAS MÓVEIS PARA CRESCER

O comércio itinerante ganha espaço no mercado, mas deve ser avaliado com cuidado pelos empreendedores

Em 2014, os brasileiros foram conquistados por um novo tipo de negócio: os food trucks. Com tanto sucesso, muitas marcas estão nascendo nesse formato e outras estão adotandotrucks como alternativa. “Os itinerantes vieram para ficar. Atualmente, eles são mais utilizados por empresas que já tem uma rede de franquias estabelecida como mais uma opção a ser explorada”, afirma Cláudia Bittencourt, diretora geral do Grupo Bittencourt.

Esse é o caso do Mercadão dos Óculos. A empresa é um exemplo de que mesmo marcas fora do setor de alimentação podem aproveitar a nova tendência. Para Gustavo Freitas, diretor de expansão do Mercadão dos Óculos, as franquias móveis são uma oportunidade para se aproximar do cliente. “Não temos ponto fixo, mas estamos sempre com o melhor ponto que é onde está a maioria das pessoas. Você pode aproximar esse truck de um lugar de grande aglomeração e utilizar todo o apelo do varejo”, diz.

Por outro lado, a Salch&Pão, especializada em hot dogs, já surgiu como um negócio móvel e investiu em um veículo menor como vantagem competitiva. “Temos dois tipos de carrinho, um deles é de base fixa e o outro, de base móvel. Como é um carrinho pequeno, ele pode estar posicionado não só em ponto itinerantes, mas também em áreas privadas. Pode ficar até mesmo dentro de um bar ou uma casa noturna”, explica Renan Kamia, diretor executivo da empresa.
Unidade móvel da Salch&Pão.

O ponto, inclusive, deve ser algo considerado pelo franqueado, já que a maioria dos trucks é muito grande para ficar em qualquer lugar. Segundo Cláudia, uma franquia itinerante de alimentos deve seguir rigorosamente as leis determinadas pela vigilância sanitária. Kamia afirma que conta com uma empresa parceira, responsável pelos aspectos técnicos da franquia. “A gente segue o regulamento da Anvisa, que prevê que tenhamos uma pia de assepsia para as mãos e onde devem ficar os porta condimentos”, conta.

No caso do Mercadão dos Óculos, por não se tratar de comida, a vigilância sanitária não está envolvida no processo de autorização. De acordo com Freitas, isso já ajuda muito. “A licença da prefeitura acaba sendo meio que automática. Você pede e é como se você fosse um vendedor ambulante. Avisa o lugar em que montará o truck e recebe a autorização”, diz.

A legislação de diferentes cidades também deve ser pesquisada antes de se abrir uma franquia itinerante. “A cidade grande ainda tem mais receptividade para unidades móveis, principalmente se for uma rede conhecida. Em lugares menores, o empreendedor pode sofrer um pouco mais de preconceito com o seu negócio”, diz Cláudia.

O estoque é outro aspecto que merece atenção, pois nem todo truck tem espaço para que ele seja mantido. Nesse caso, os franqueados que já possuem uma unidade fixa da rede e investem no truck como uma nova forma para explorar o mercado podem ter mais sucesso. “Desse jeito, o empreendedor também consegue ter um espaço a mais para manter o estoque necessário”, afirma a consultora.

No caso do Mercadão de Óculos, o custo para ter uma unidade itinerante é de R$ 79 mil, incluindo a taxa de franquia de R$ 25 mil, carroceria, mobiliário e estoque, que pode ser comportado no próprio truck.

Para o Salch&Pão, o cuidado é redobrado com o estoque, que inclui perecíveis. Segundo Kamia, os franqueados de São Paulo recebem os insumos uma vez por semana, enquanto as unidades de outros estados recebem a cada dez dias. “Tudo isso é pensado para não sobrecarregarmos o franqueado. Assim, ele consegue manter um pequeno estoque em casa”, afirma. O custo para quem quer abrir uma franquia da rede é de R$ 45 mil com o carrinho.

Outro ponto relevante é avaliar o potencial da marca. “O serviço itinerante já está estabelecido como modelo de negócio. O franqueado só não pode aderir a ele pelo impulso. Todas as condições devem ser consideradas, não só o estoque e o ponto. A reputação da franquia deve ser avaliada”, afirma Claudia.

http://revistapegn.globo.com/Franquias/noticia/2016/06/redes-apostam-em-franquias-moveis-para-crescer.html

http://professorito.blogspot.com.br/2016/06/redes-apostam-em-franquias-moveis-para.html

ito

ito

Graduado em Administração de Empresas pela UCSal (Universidade Católica do Salvador), com Especialização em Marketing pela UNIFACS (Universidade Salvador) e Mestrado em Administração e Comércio Internacional pela UEX (Universidad Extremadura - Espanha). Docente na área de gestão, vendas e marketing na FBV – Faculdade Boa Viagem. Possui experiência na área de gestão e consultoria de mais de 20 anos. É um dos diretores da DSC Gestão.
ito