Postado em 22/05/2013

Escrito por  Erica Franco
Principais erros cometidos pelas franquias

Falta de visão, de planejamento, imediatismo e cláusulas não específicas em contratos são alguns dos fatores que podem acabar com uma franquia

 

O segmento das franquias voltadas ao varejo de produtos e prestação de serviços cresce a cada ano no país – como mostram os índices apurados pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), que revelam que o faturamento do setor foi superior a R$ 88 bilhões em 2011 e R$ 103 bilhões em 2012.O crescimento da classe C no país, a facilidade do crédito para pequenos empresários e a diversificação dos tipos franquias são alguns dos principais fatores que atraem os brasileiros que têm o desejo de abrir o seu próprio negócio – sejam eles pessoas que já tenham experiência ou não.

Os índices são animadores, porém, nem todas as pessoas que abrem uma franquia obtém sucesso – o que costuma ser bastante frustrante para o franqueado, além do prejuízo financeiro.  “Quando uma franquia não alcança o sucesso ou não atende às expectativas de um franqueado, a rede franqueadora também perde”, fala o consultor e diretor executivo da Net Branding Consultoria, Fábio Fiorini.  Franqueados e franqueadores ainda cometem erros que podem colocar o negócio em risco, como explica o consultor, que já esteve a frente de projetos de expansão e de marcas de franchising como Scala sem Costura (Trifil), PostNet, Yazigi, Mundo Verde, entre outras.

Falta de Visão

Uma das falhas cometidas por franqueados que não obtém sucesso é pensar que não precisam se dedicar ao negócio da mesma forma como fariam com uma empresa independente. “Essa mentalidade, que infelizmente ainda existe entre alguns franqueados, pode não levar uma empresa franqueada ao fracasso, mas certamente diminui bastante as perspectivas de êxito”, analisa o consultor. Apoiados na infraestrutura da franqueadora, os franqueados podem ter a falsa ideia de que não precisam reciclar funcionários e divulgar ou expandir os negócios, por exemplo.

Falta de planejamento financeiro

Outro equivoco cometido pelos franqueados é a falta de planejamento financeiro. Ter apenas o capital disponível para a abertura do negócio é algo extremamente ariscado, pois existir o prazo para retorno dos investimentos, diversos fatores, como a economia podem não favorecer o mercado. “O franqueado precisa ter recursos disponíveis, pois todo o negócio pode passar por cenários positivos e negativos”, alerta Fiorini.

Não conhecer bem a franqueadora

Mais um motivo que leva ao erro é não conhecer a fundo a empresa franqueadora. O consultor explica que avaliar a rede franqueadora é ir além de números atraentes fornecidos pela empresa, como conhecer o perfil das pessoas que farão o elo entre franqueado e franqueador – já que esses profissionais estarão em contato direto com o empreendedor da franquia. “Saber como o quadro funcional de uma franqueadora pensa, trabalha, age e se comunica é essencial para concluir se a franquia atenderá as necessidades e expectativas a médio e longo prazo”, ressalta Fiorini.

Imediatismo

O desejo de ganhar dinheiro rápido leva o franqueado à frustração. Para evitar esse engano comum entre os empreendedores que querem se tornar franqueados, cabe à franqueadora passar as orientações adequadas, como prazos para retorno financeiro.

Falta de suporte – Contrato

Fiorini revela que muitas redes franqueadoras não especificam em contrato qual o tipo de suporte que oferecem aos franqueados. O consultor deixa uma importante dica para aqueles que pretendem investir em uma franquia: “Antes de fechar o negócio, o futuro franqueado deve se atentar e exigir que os detalhes estejam especificados no contrato – isso inclui desde os valores envolvidos nas transações até a periodicidade de treinamentos ou visitas”.

 

http://www.portalnovarejo.com.br/destaque/destaques/principais-erros-cometidos-pelas-franquias

ito

ito

Graduado em Administração de Empresas pela UCSal (Universidade Católica do Salvador), com Especialização em Marketing pela UNIFACS (Universidade Salvador) e Mestrado em Administração e Comércio Internacional pela UEX (Universidad Extremadura - Espanha). Docente na área de gestão, vendas e marketing na FBV – Faculdade Boa Viagem. Possui experiência na área de gestão e consultoria de mais de 20 anos. É um dos diretores da DSC Gestão.
ito