Postado em 07/05/2013

Por Patrícia Bispo para o RH.com.br 

A pesquisa de clima é considerada um relevante instrumento para as organizações, pois possibilita que a empresa identifiquem os pontos fortes e aqueles que precisam ser trabalhados. Contudo, como em qualquer outro processo necessita de alguns quesitos que poderão auxiliar significativamente para o seu êxito. Confira logo abaixo, alguns fatores que contribuem para que a pesquisa de clima organizacional torne-se o diferencial, notadamente para a Gestão de Pessoas.
1 – Como em qualquer outro processo corporativo, sozinha a pesquisa de clima organizacional não fará milagre algum. Para que ofereça resultados, torna-se indispensável que essa ferramenta tenha o respaldo da alta direção. Dessa forma, ao apresentar os resultados da pesquisa, a área de RH terá a certeza de que terá o apoio necessário para realizar mudanças que visem a melhoria interna.

2 – Além da alta direção, a área de Recursos Humanos deverá contar com o apoio das lideranças, uma vez que os gestores são porta-vozes da empresa e eles retransmitirão aos demais colaboradores o real significado da pesquisa de clima.

3 – Para que os colaboradores participem da pesquisa de clima organizacional e compreendam os benefícios que esse recurso trará tanto à empresa quanto às pessoas que formam às equipes, é indispensável que a área de RH estabeleça uma a comunicação clara com todos os níveis hierárquicos. Isso permitirá que as dúvidas sejam apresentadas e os colaboradores compreendam como o processo ocorrerá.

4 – Já que pontuamos o assunto comunicação, utilize os canais internos para divulgar o instrumento que passará a fazer parte da Gestão de Pessoas da empresa. Utilize murais, e-mails corporativos, impressos. O importante é que os funcionários recebam as informações de fontes seguras e saibam que todos estão sendo informados sobre um processo tão relevante para o futuro de todos. Isso ressaltará o valor que a organização dá aos seus talentos internos.

5 – É, no mínimo, salutar que a área de RH realize uma pesquisa de campo para saber se será ou não necessário o estabelecimento de uma parceria com alguma consultoria externa especializada, para dar respaldo nas primeiras edições da pesquisa. Conhecer a experiência de outras organizações e trocar ideias com outros profissionais que já possuem conhecimento sobre o assunto torna-se um diferencial.

6 – Faça uma avaliação dos recursos necessários para a logística do processo. Isso evitará em determinada fase, a pesquisa de clima seja prejudicada ou mesmo “pare no meio do caminho, porque faltou combustível”.

7 – As pessoas que estarão envolvidas no processo precisam estar integradas a todas às fases da pesquisa de clima. Ou seja, se durante alguma fase de aplicação do instrumento algum profissional precisar ausentar-se por motivo de força maior, outra pessoa poderá substituir seu colega, mesmo que seja temporariamente para que o processo não seja prejudicado. Dessa forma, é aconselhável que as partes envolvidas estejam devidamente capacitadas para situações inesperadas.

8 – Sabemos que a pesquisa de clima organizacional conta com a aplicação de um questionário junto ao público interno. Vale lembrar que a elaboração deste deve envolver os indicadores relevantes à empresa como, por exemplo, liderança, comunicação interna, salários e benefícios, espírito de equipe, oportunidade de crescimento interno, entre outros.

9 – Muitos profissionais sentem-se inseguros quando chega o momento de responder o questionário, com receio de sofrerem algum tipo de retaliação. Dessa forma, assegure ao público interno que o sigilo dos respondentes é uma das prioridades da pesquisa de clima. Só dessa foram, com confiança de que não terão suas respostas identificadas, os colaboradores conseguirão dar uma contribuição de valor.

10 – A divulgação dos resultados, bem como as ações que serão adotadas após a compilação dos dados da pesquisa de clima torna-se indispensável, para que numa próxima edição as pessoas compreendam que esse trabalho não é apenas um “belo discurso”. Nem cogitarão que a contribuição delas não foi tempo perdido e tampouco será transformada em mais um relatório a ser esquecido em algum arquivo que poderá ser deletado a qualquer momento.

 

Palavras-chave: | pesquisa de clima | comunicação interna | estratégia |

 

http://www.rh.com.br/Portal/Motivacao/Dicas/8512/acoes-que-contribuem-para-o-exito-da-pesquisa-de-clima.html

ito

ito

Graduado em Administração de Empresas pela UCSal (Universidade Católica do Salvador), com Especialização em Marketing pela UNIFACS (Universidade Salvador) e Mestrado em Administração e Comércio Internacional pela UEX (Universidad Extremadura - Espanha). Docente na área de gestão, vendas e marketing na FBV – Faculdade Boa Viagem. Possui experiência na área de gestão e consultoria de mais de 20 anos. É um dos diretores da DSC Gestão.
ito